3 lições para administrar o fluxo de caixa de seu negócio

Qualquer empreendedor sabe da necessidade de administrar o fluxo de caixa de seu negócio. Quando não conseguimos equilibrar receita e despesa, o apocalipse é o limite.  Salários atrasados, fornecedores e credores sem receber, endividamento constante … etc.

Levei anos para aprender a administrar o fluxo de caixa de minha empresa. Quando o negócio estava em sua fase inicial, aumentar o faturamento era fácil. Bastava trabalhar um pouco mais para pagar as despesas adicionais.

Com o passar do tempo, aumentar o faturamento deixou de ser algo simples. A eficiência operacional e estratégica passaram a ser mais importantes. Tive que encontrar outras formas para o equilíbrio financeiro do negócio.

Embora compartilhe essas lições (muito valiosas para mim), continuo estudando, aprendendo e praticando todos os dias.

Como um sábio empresário disse: o bom administrador não acorda um dia e descobre que precisa cortar despesas. O bom administrador corta despesas todos os dias.

Lição 1 – Controle suas finanças pessoais

Sem dúvida esta é a mais difícil lição. Ser uma pessoa descontrolada financeiramente implica no descontrole financeiro de seu negócio. Uma pessoa descontrolada jamais será capaz de administrar o fluxo de caixa de forma eficiente.

Em um negócio estruturado (empresa), é comum o empreendedor ter um pro labore (ou retirada). A primeira dificuldade é manter uma retirada pré-definida.

A razão é simples: você deixou de ser empregado e decidiu ser empreendedor para ser livre. Então por que impor um limite para quanto retirar?  Em tempos de vacas gordas esse paradoxo é ainda maior. Seu negócio vai bem, sua vida também deveria.

Essa não é uma decisão fácil. Muitos empreendedores que conheço nunca tomam consciência de limitar a retirada.  Definem seus ganhos segundo o sucesso (ou fracasso) de seus negócios.

Apenas decidir pela limitação da retirada não basta. Para manter a retirada controlada de forma regular é necessário controlar verdadeiramente as finanças pessoais.

Se você decide por viver com uma retirada fixa, terá que adaptar seu padrão de vida. Para tanto é importante definir um orçamento doméstico. Colocar no papel, junto com a família, todas as despesas  é fundamental.

Com o passar dos anos e dos altos e baixos do negócio, eu e minha esposa tivemos que adaptar nosso padrão de vida diversas vezes.

No início minha retirada chegava a 90% do faturamento. Hoje gira por volta de 1/3 e minha meta é um dia chegar a 10%. Essa estratégia tem garantido segurança em meio aos altos riscos corridos em um empreendimento, especialmente online.

Lição 2 – Reduza as despesas de seu negócio diariamente

Essa lição é um verdadeiro exercício de criatividade e coragem e na minha opinião é a lição que traz as maiores inovações para uma empresa.

A ideia é simples: nenhuma despesa deve ser essencial para a sobrevivência de seu negócio. Se ela for, encontrar novas formas de executar a tarefa/processo de forma mais barata é fundamental.

Todo negócio nasce com a premissa de lucrar. Mesmo quando queremos acima de tudo servir nossos clientes com amor, precisamos estar sempre gastando menos do que ganhamos a fim de sobreviver (e crescer!).

Ao tentar reduzir uma despesa, você se força a pensar em alternativas mais econômicas. Ao pensar e considerar alternativas, você se desprende daquilo que considera importante e percebe uma nova realidade para seu empreendimento.

Com o passar do tempo e a cumulação desses pequenos cortes, seu negócio se torna uma máquina única, otimizada, lubrificada e com processos muito mais eficientes.

O oposto dessa mentalidade é deixar a coisa correr. Não medir, controlar e cortar as despesas, e pior ainda, acumulando cada vez mais novas despesas (desnecessárias?). Ou acreditar que sem determinada despesa, seu negócio não pode sobreviver ou manter a eficiência.

No fim do dia, essa habilidade exige grande vontade e dedicação e nem sempre pode ser alcançada quando queremos. Alguns gastos levam anos para serem superados. Por exemplo, o gasto com energia elétrica: como reduzir? Como zerar? Apenas uma inovação muito grande permitira tal sucesso.

Entretanto, buscando economizar nesta conta de luz, você acaba encontrando formas mais eficientes de fazer negócios, evitando por exemplo, consumir em horários de pico. Na aquisição de um equipamento (computador), você levaria mais a sério quanto será o consumo enérgico no longo prazo e o impacto disto no seu caixa.

Pensar diariamente nestas despesas é uma tarefa árdua, porém com o tempo passa a ser até prazerosa e muito recompensante para o fluxo de caixa. O que me leva à terceira lição fundamental:

Lição 3 – Busque a eficiência operacional

Qualquer pessoa pode cortar uma despesa. Um pai de família pode colocar os filhos em uma escola mais barata para economizar. Um aluno esperto pode comprar um caderno mais barato a fim de poupar dinheiro para o celular novo.

O que diferencia o corte de despesas em um empreendimento da simples economia por lucros maiores é a eficiência operacional. Ao contrário do mero corte de gasto, o que buscamos ao reduzir uma despesa é uma nova forma de fazer as coisas, e não simplesmente fazer a mesma coisa de uma forma mais barata.

No exemplo do pai que busca economizar com a escola mais barata, ele poderia complementar a educação de seus filhos dedicando mais tempo a eles e assim não teria que pagar por uma escola em tempo integral.

No exemplo do garoto que economiza no caderno para comprar um celular, ele poderia utilizar esse celular no lugar do caderno e economizar dezenas de cadernos para o resto da vida.

Em ambos os exemplos, houve uma mudança profunda na forma de se fazer as coisas. É isso que chamo eficiência operacional. E é através dela que busco administrar o fluxo de caixa cada vez melhor.

Muitos empresários procuram economizar nas compras ou demitir funcionários quando precisam cortar despesas. Porém se não houver uma mudança no processo antes, a fim de torná-lo mais eficiente, a economia pode custar caro e nunca acontecer.

Administrar o fluxo de caixa não começa no caixa e sim na administração

A conclusão destas lições é que não podemos cair na tentação de administrar o dinheiro. Este é apenas um indicador do sucesso da condução do negócio como um todo.

Mais importante é administrarmos a nós mesmos e nossos hábitos pessoais e buscar diariamente a disciplina do pensar e inovar os aspectos mais custosos de nossos empreendimentos.

Marco Floriano
Marco Floriano

Cientista da Computação, é fundador da Cursos7, escola de cursos online para empreendedores que desejam aprender a criar sites e marketing digital.

1 Comentário

  1. […] é fundamental para se trabalhar menos e produzir mais com eficiência. Perguntar se a situação vivida é necessária para o resultado final exige paciência, sinceridade, feedback e observação pessoal. Cada nova tarefa otimizada é como […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *