Se você está começando sua carreira e não sabe se quer seguir como empreendedor ou empregado, este post poderá ajudá-lo a saber se está no caminho certo com base em minha experiência de 15 anos como empreendedor da área de tecnologia.

Vocação é uma palavra que possui vários significados. Neste post iremos utilizar as seguintes definições:

  • disposição natural e espontânea que orienta uma pessoa no sentido de uma atividade, uma função ou profissão; pendor, propensão, tendência.
  • qualquer aptidão ou gosto natural; disposição, pendor, talento.

É a vocação o grande objetivo do jovem que busca desenvolver seus talentos e alcançar o sucesso: sem ela, por maior que seja o sucesso do momento, temos aquele constante sentimento de que estamos deixando de fazer algo importante.

Com ela, por mais difícil que seja o caminho, seguimos em frente pois sabemos que estamos fazendo a coisa certa. Nos sentimos realizados ou no processo de alcançar a realização.

Entendendo Seus Talentos

No início é muito mais difícil saber qual é a vocação de uma pessoa. Com o passar do tempo, vamos experimentando a vida e aprendendo mais sobre nós mesmos, o que facilita bastante o processo.

Podemos começar desenvolvendo nossos talentos. Os talentos são naturalmente desenvolvidos no dia a dia da vida de cada um. Os talentos levam à vocação. Exemplo: uma pessoa que canta bem no chuveiro, pode eventualmente querer fazer uma aula de canto, evoluir e ser convidado para cantar em um coral, descobrindo assim sua vocação. Podemos, naturalmente, ter vários talentos e vocações.

Descobri um de meus primeiros talentos muito cedo. Aos 10 anos de idade, desconfigurei um computador e aprendi com o técnico como concertá-lo. Aos 13 anos já começava a estudar programação e desmontar computadores. Aos 14 anos,  fiz um curso técnico de informática e aprendi matérias e técnicas avançadas para uma pessoa de minha idade. Ali vi que era capaz de estudar assuntos complexos por horas a fio sem perder a paciência. E além disso, vi que gostava mesmo de informática: o que para muitos era uma tortura, para mim era brincadeira e passa tempo.

Outro talento que descobri na época foi para línguas: enquanto muitos sofriam nas aulas de português e inglês, essas eram minhas matérias favoritas e as em que mais me destacava. De fato, durante toda minha vida acadêmica, a redação me salvou de várias repetências e o inglês me abriu portas inimagináveis.

A Importância dos Talentos Para a Vocação

É comum vermos jovens (15 a 20 anos de idade), preocupados com qual faculdade irão fazer ou qual caminho profissional irão seguir. Isso porque a maioria das profissões (ao menos todas que conheço) exigem uma clara vocação.

Quando jovem, é fundamental que desenvolvamos nossos talentos, para que assim nossas vocações possam florescer na vida adulta com naturalidade.

Por exemplo, uma vocação muito bela é a do matrimônio. Ao decidir não namorar por brincadeira e se guardar para uma futura esposa (ou marido) desde jovem, a pessoa desenvolve os talentos (como a castidade) que permitirão que ela tenha vocação para o matrimônio. Mas os talentos que levarão à vocação devem ser cultivados desde cedo.

Comecei a lidar com clientes desde pequeno (2 anos de idade!) no escritório de contabilidade de minha família. Para poderem trabalhar, meus pais me levavam para o escritório e lá tive a oportunidade de viver em um ambiente que futuramente me influenciaria bastante (um escritório, e não uma fazenda, por exemplo).

Antes de de ser Empreendedor, desenvolvi uma série de talentos durante minha infância e juventude que foram cruciais:

  • Comunicação: vendas e marketing são habilidades fundamentais para um Empreendedor. Um empreendedor que tem medo de se comunicar é como um médico que tem medo de sangue. Você não precisa gostar excessivamente de se comunicar (assim como médico nenhum gosta de sangue), mas é importante que isso não seja uma deficiência. Como sempre fui voraz leitor e escritor, desenvolvi os talentos necessários para ser um comunicador razoável, capaz de levar a mensagem de um empreendimento ou produto de forma eficiente através de diversos tipos de canais, como a internet.
  • Produto: um empreendedor precisa ser capaz de fazer alguma coisa para a sociedade. Desde costurar uma calça, produzir um queijo ou criar um programa de computador, o talento de produzir algo útil é o que nos permite servir uns aos outros. E quem define a utilidade é a sociedade. Sempre fui excepcional gamer, porém isso não tem valor real para a sociedade, logo, não considero como talento útil para uma vocação, embora isso esteja mudando rapidamente.
  • Sistematizar: entender sistemas é um talento necessário. Vejo “empreendedores” que controlam o caixa da empresa em um papel de pão. Coitado do contador, dos funcionários, do governo, etc. Faltou desenvolver talentos cruciais aqui, como o uso de um computador. Aliás devido ao avanço dos smartphones, muitas pessoas jovens não sabem como utilizar um computador de forma eficiente. Isso é um problema pois existe um limite de problemas computacionais que podem ser resolvidos em um celular. Cito como exemplos a operação de planilhas complexas e a produção de projetos gráficos. Nos dias atuais, ter habilidades avançadas no uso de computadores é um talento fundamental para diversas profissões, como contabilidade e administração.

Como Encontrar Sua Vocação

Está na moda o termo “descobrir minha vocação”. Por tudo que falei aqui, você já deve ter percebido que não acredito que a vocação possa ser descoberta do dia para a noite: ela é um processo que precisa ser construído, dia a dia, talento por talento, experiência após experiência.

Ser um engenheiro não começa no primeiro ano de faculdade. Começa no primeiro ano do ensino fundamental, ou antes ainda, em casa, quando o pai passa para o filho as primeiras noções de lógica, geometria, álgebra, etc.

O processo de construção de vocações exige um ambiente propício, oportunidades, incentivos e disponibilidade. Daí a importância, ao meu ver, de escolas e universidades na criação das vocações profissionais.

Mas a pessoa precisa ter um auto conhecimento mínimo para perceber quando está desenvolvendo um talento e quando aquele talento, ou conjunto de talentos, está levando a uma vocação.

Recentemente tive uma experiência muito negativa em meu principal negócio, a Cursos7, que veio a falir em 2018, me deixando com muitas dívidas em um momento muito delicado de minha vida pessoal.

Porém, este incidente foi um fator crucial para desenvolver minha vocação, pois devido a essa experiência resolvi seguir com o negócio, mesmo em prejuízo (no momento o fluxo de caixa está equilibrado). Graças a essa situação, estou desenvolvendo talentos empreendedores que nunca teria sido capaz de desenvolver em outras situações, como um controle financeiro pessoal muito mais avançado, gerência de dívidas e negociação com credores (algo muito mais difícil do que parece) e marketing de guerrilha, sem ter grandes somas de dinheiro para investir em propaganda e publicidade.

Minha conclusão: investir tempo no desenvolvimento de talentos produtivos e buscar situações que desafiem esses talentos. A melhor forma que encontrei de identificar uma vocação.

Participe da discussão

2 comentários

  1. Olá Marco! me chamo Renan e sou aluno seu da Cursos7. E gostaria de saber o motivo que você está oferecendo todos os cursos da sua plataforma gratuitamente, seria por conta do que você falou nesse post em relação a Cursos7 não tá indo tão bem?

    Se sim, fiquei interessado em ajudar financeiramente e tornar sócio da Cursos7 e levantá-la novamente. Mais detalhes, entre em contato comigo.

    1. Olá Renan obrigado pelo seu comentário. Tem a ver sim meu amigo, porém o desfecho será muito positivo em 2019. Estou criando uma nova estratégia para a Cursos7, com base nas mudanças fundamentais que estou passando. Fiquei muito feliz em saber que posso contar com sua ajuda! Em breve teremos novidades por lá. Grande abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *