Recolhimento

Ao assisitr uma série, nos recolhemos quando entramos na sala, fechamos as cortinas e evitamos contato com o mundo exterior. Não queremos ser incomodados para prestar o máximo de atenção na tela.

Quando estamos dirigindo por uma estrada desconhecida ou sob condições adversas, reduzimos nossa atenção às conversas no interior do veículo e até desligamos o rádio para prestar o máximo de atenção na estrada.

Essas situações ilustram atitudes naturais de recolhimento que precisamos para perceber bem as coisas importantes.

Logo, o recolhimento tem um objetivo: prestar melhor atenção às coisas; ouví-las.

Assim, tenho aprendido nos últimos meses como me recolher para ouvir a palavra de Deus. Ele mesmo pede isso quando diz “Shemá Israel”. Alguns sábios dizem que esse é, inclusive, o primeiro mandamento. Afinal, como iremos amar a Deus e seguir todos os outros mandamentos se não, primeiro, paramos para ouvi-lo?

Mas esta não de forma alguma uma escuta puramente exterior. Não basta escular ou ler a Palavra. É preciso silenciar os pensamentos que constantemente nos dispersam dos pensamentos interiores que temos que ter sobre Deus.

Ao ler um versículo da bíblia, estamos ouvindo a palavra de Deus? É claro que sim. Porém, se dez minutos depois estamos entretidos na frente da TV ou inquietos com um problema no trabalho, ainda estamos ouvindo aquela palavra? Não mais.

É nesta hora que o recolhimento, uma virtude, vem em nosso socorro. Estamos no lugar, nas situações da vida (lembra do motorista na tempestade com o carro cheio de gente?), mas por dentro estamos meio que parados naquele versículo lido no começo do dia.

Ao invés de pensar porque o governo criou mais um imposto ou porque o meu vizinho não prende o cachorro, ou pensar na pessoa que parece não gostar de mim ou naquela matéria da faculdade, no carro novo que vou comprar ou seja lá o que for, o pensamento sempre volta naquele versículo.

Esse direcionar do pensamento profundo e constante para a palavra de Deus, é um exemplo de recolhimento interior. Alguns chamam ainda de silêncio: não é que sua boca para de falar, mas sua mente silencia para pensar em Deus com mais clareza.

Essa virtude está cada vez mais difícil de desenvolver devido a nossa triste era digital: telas, internet e barulho para todo lado.

Mas o que seria da vida se não houvessem os bons desafios? Busquemos então desenvolver essa habilidade: bloquear o barulho que o mundo faz dentro de nossas cabeças, para pensarmos nas coisas de Deus, principalmente em sua paixão, morte e ressureição.

Categories: